A BIBLIOTECA “SALA DE AULA”

 

A BIBLIOTECA “SALA DE AULA”

Cléria Mara Portelo Guimarães de Carvalho

RESUMO

O vínculo presencial com a escola está suspenso, mas precisamos aprender a usar a tecnologia a favor do conhecimento e da aprendizagem. O uso da tecnologia pode corroborar com os educadores na aplicação de metodologias mais ativas, dinâmicas e interativas; por outro lado, pode auxiliar os estudantes, de forma efetiva, na busca de respostas, por meio de pesquisas assertivas e eficientes, para o aprofundamento de conteúdos e saberes. Nesse contexto, a palavra da vez é ressignificação. O mundo em que estávamos acostumados a viver está passando por transformações e o “novo normal” está imperando nesses dias. As escolas e, por consequência, as bibliotecas escolares também estão procurando se adequar a essa nova realidade. Incentivar a leitura, fomentar a pesquisa e ser parceira no processo ensino-aprendizagem continuam sendo responsabilidades da biblioteca e daqueles que nela atuam. Este novo momento exige adaptação do espaço e, atuação criativa e dinâmica do profissional. Procurando atender às demandas para este tempo, a equipe do Instituto Educacional de Contagem – IEC,  da Fundação de Ensino de Contagem – Funec, Unidade Industrial, tem se reunido, virtualmente, pesquisado bastante e discutido formas para tornar a biblioteca da unidade ativa, dinâmica e participativa, neste cenário de atividades remotas em que estamos inseridos. A ideia visa proporcionar aos estudantes um espaço onde a leitura, a troca de experiências e o aprendizado estejam em consonância e, contribuir para superar esse momento da melhor forma possível.

Palavras-chave: Biblioteca escolar; Atividades virtuais e remotas; Ações de leitura.

 

ABSTRACT

The face-to-face link with the school is suspended, but we need to learn to use technology in favor of knowledge and learning. The use of technology can corroborate with educators in the application of more active, dynamic and interactive methodologies; on the other hand, it can assist students, in an effective way, in the search for answers, through assertive and efficient research, for the deepening of contents and knowledge. In this context, the word of the time is reframing. The world we were used to living in is undergoing transformations and the “new normal” is ruling these days. Schools and, consequently, school libraries are also trying to adapt to this new reality. Encouraging reading, promoting research and being a partner in the teaching-learning process remain the responsibility of the library and those who work in it. This new moment requires adaptation of the space and creative and dynamic performance of the professional. Seeking to meet the demands for this time, the team from the Instituto Educacional de Contagem – IEC, from the Fundação de Ensino de Contagem – Funec, Industrial Unit, has been meeting, virtually, researching and discussing ways to make the unit’s library active, dynamic and participatory, in this scenario of remote activities in which we are inserted. The idea is to provide students with a space where reading, the exchange of experiences and learning are in harmony and contribute to overcome this moment in the best possible way.

Keywords: School library; Virtual and remote activities; Reading actions.

1. INTRODUÇÃO

Estamos vivendo um período inédito em todo mundo: a pandemia da Covid-19. Certamente, esse período se tornará histórico por diversas razões. O fechamento das escolas e a suspensão das aulas são bons exemplos disso.

Por essa razão, estamos (educadores e famílias) sendo levados a repensar o processo educativo, criar formas para disseminar o conhecimento e utilizar ferramentas que possam nos auxiliar nesse momento.

Adaptar a costumeira maneira de ensinar às novas demandas, atualizar métodos, ferramentas e formas de propagar o conhecimento de forma remota, transformar o lar em um ambiente educativo durante o isolamento social, onde os pais/responsáveis continuem a exercer seu papel e possam ser também intermediadores do estudante, da escola e do uso da tecnologia, configuram-se como os principais desafios para escolas e famílias nesse tempo.

2. OBJETIVOS

  • Promover o hábito da leitura de diferentes gêneros literários;
  • Apresentar obras literárias apropriadas para nossos estudantes;
  • Associar a leitura de textos literários à fruição;
  • Propiciar ao aluno um espaço onde possa aprender, trocar experiências e se divertir, de forma saudável e construtiva.

3. METODOLOGIA

Decidimos usar uma “sala de aula interativa” na ferramenta adotada pela unidade e já conhecida pelos pais e estudantes, “Google sala de aula”. Nosso espaço foi nomeado como “Biblioteca Funec Industrial”.

Pensamos em dividir o espaço em seções, para que o estudante possa acessar de acordo com seu interesse. A seções pensadas para compor esse espaço, são:

  • Li, gostei e recomendo – Seção com atualização quinzenal. Projeto já desenvolvido em nossa biblioteca, mas, foi repensado. Essa seção será composta por vídeos curtos, enviados por nossos estudantes e funcionários (reforçando a parceria biblioteca – educadores), indicando uma obra e justificando sua escolha. Tem por objetivo tentar estimular a leitura, baseando-se na troca de experiências entre os membros do espaço;
  • Livro da semana – Seção com atualização semanal, onde será apresentada uma sugestão de leitura trazendo a foto do livro e sua sinopse e, quando possível, uma avaliação sobre a obra;
  • Quiz literário – Seção com atualização mensal, onde o estudante poderá se divertir, tentando acertar as questões relacionadas à diversas obras literárias, apresentadas por meio de um jogo interativo;
  • Das páginas às telonas: livros que invadiram as telonas – Seção com atualização quinzenal, onde serão apresentadas obras literárias que viraram filmes. Essa seção poderá ser enriquecida com trailers das obras indicadas;
  • O livro da minha vida – Seção com alimentação mensal. Esse projeto já desenvolvido na biblioteca da unidade, mas foi repensado. Essa seção será composta por vídeos curtos, enviados por nossos estudantes e funcionários (reforçando a parceria biblioteca – educadores,) onde a pessoa em questão vai justificar o “porquê” da obra escolhida ter marcado sua vida;
  • Você não pode deixar de ler – Seção com alimentação quinzenal. Traz artigos sobre atualidades, importância da leitura, curiosidades sobre livros e autores, dentre outros;
  • Leitura coletiva* – A proposta para essa seção é promover a leitura, e uma posterior discussão de obras previamente escolhidas, num período predefinido, usando, para isso, os recursos da plataforma adotada.

* Essa seção só poderá acontecer, mediante o interesse e o comprometimento dos estudantes.

Importante: Durante o projeto, todas as manhãs de quartas-feiras, a auxiliar de biblioteca da unidade estará acessível para interação e esclarecimento de quaisquer dúvidas.

4. CRONOGRAMA

5. RESULTADOS PARCIAIS

Considerando-se que o projeto em questão teve início em 05/08/2020, encontrando-se, ainda, em andamento, apresentamos a seguir os frutos colhidos até esse momento, com destaque para o perceptível envolvimento de toda comunidade escolar e, sobretudo, a participação ativa dos estudantes e professores.

Esses resultados compreendem: prints de conversas com estudantes, por meio das redes sociais da Cléria e, das telas da “Biblioteca sala de aula”, dentro da plataforma Google Classroom, demonstrando como é o espaço e, também, as estratégias práticas da proposta de trabalho.

É preciso ressaltar, também, que a “Biblioteca sala de aula” não é obrigatória como as demais salas de aula. E, mesmo assim, no primeiro dia do projeto, houve uma visitação de 58 (cinquenta e oito) estudantes, a qual caracteriza-se como bastante significativa, considerando-se as circunstâncias do momento.

  1. Relatos dos estudantes acerca da “Biblioteca sala de aula” – parte 1

Estudante L.A. – 16 anos – 1º Ano – 06/08/20   Estudante V.Z. 17 anos – 3º Ano – 05/08/20

b) Relatos dos estudantes acerca da “Biblioteca sala de aula” – parte 2

 

c) Relatos dos estudantes acerca da “Biblioteca sala de aula” – parte 3


 

d) Print da tela inicial do espaço “Biblioteca sala de aula”

Print da tela inicial da “Biblioteca sala de aula” – autoria própria

e) Print da tela com indicação das seções que compõem o espaço “Biblioteca sala de aula”

Print da tela com indicação das seções do espaço – autoria própria

e) Print da tela inicial da seção “Livro da semana”

Print da tela inicial da seção “Livro da semana” – autoria própria

g) Print da tela “Você não pode deixar de ler”

Print da tela “Você não pode deixar de ler” – autoria própria

h) Print da tela – Seção “Li, gostei e recomendo”

Print da tela: seção “Li, gostei e recomendo” – autoria própria

i) Registros referentes à 1ª postagem da seção “Li, gostei e recomendo” e, também, os relatos dos professores.

Livro #1

Orgulho      e  Preconceito (Pride and Prejudice) Autora: Jane Austen

1ª Publicação 1813

Você acha que o tão popularizado “Girl Power” nasceu em nossos dias?! Nananinanão! É claro que esse termo utilizado para referir-se ao poder e independência feminina não era usado no contexto trazido pelo livro e pela autora, mas traz consigo uma personagem tão forte, questionadora e à frente do seu tempo que poderia ser facilmente considerada uma mulher empoderada, mesmo com todas as limitações impostas pela sociedade da época.

Vamos a uma breve sinopse dessa obra considerada um clássico e que você precisa ler, caso ainda não o tenha feito.

Na Inglaterra do final do século XVIII, as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso, mas imprudente senhor, no entanto, é um novo tipo de heroína, que não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições com perfeita lucidez de uma filósofa liberal da província. Lizzy é uma espécie de Cinderela esclarecida, iluminista, protofeminista. Neste livro, Jane Austen faz também uma crítica à futilidade das mulheres na voz dessa admirável heroína — recompensada, ao final, com uma felicidade que não lhe parecia possível na classe em que nasceu.

Apesar de a história se ambientar no século XIX, tem exercido fascínio mesmo nos leitores modernos, continuando no topo da lista dos livros preferidos e sob a consideração da crítica literária. O interesse atual é resultado de um grande número de adaptações e até de pretensas imitações dos temas e personagens abordados por Austen.

Atualmente, acredita-se que o livro tenha cerca de 2,3 milhões de cópias ao redor do mundo.

Ficou curioso para saber os rumos dessa história? Abaixo segue o link de um site totalmente legal onde você encontra diversas obras literárias. Lá você tem opção de ler online ou baixar no formato PDF. Não perde tempo! Viaje no tempo sem sair do lugar e sem precisar pagar nada!

O livro virou filme e você poderá ter acesso ao trailer da adaptação de 2005 na nossa seção “Livros que invadiram as telonas” a partir da próxima semana.

Orgulho e Preconceito – Jane Austen

Fonte: h ttps://pt.wikipedia.org/wiki/Orgulho_e_Preconceito

RELATO 1

 

Mary Braga de Oliveira

Professora de Língua Portuguesa Funec – Unidade Industrial

O IMPACTO DA QUARENTENA EM MINHA ROTINA DE

EDUCADORA

Não devemos nos assustar, esse cenário de educação e Coronavírus é novo para todos. O importante é que saibamos, identificar com humildade, essas falhas e dediquemos esforços para corrigi-las.

As dificuldades são várias, cheguei a pensar que eram anormais! A realidade é que ainda teremos que enfrentar mudanças radicais em nossa vida cotidiana.

Toda minha vivência acadêmica foi moldada em sala de aula, com alunos tendo aulas presenciais, onde tudo fluía naturalmente. Portanto, essa experiência de início, foi muito assustadora e está sendo desafiadora. Agora tenho que remodelar as minhas aulas.

Preparar uma aula remota é bem diferente da prática presencial de sala de aula –, a dinâmica de interação com os alunos é outra, as formas de comunicação muda e o conhecimento das tecnologias educacionais é imprescindível.

Atualmente, preciso utilizar de ferramentas tecnológicas de ensino e sendo obrigada a afastar-me da biblioteca e da bibliotecária (Cléria) da minha escola, que eu tanto gosto! (Desabafo).

Muitas demandas ainda virão, mas com bom planejamento e senso, sairemos mais fortalecidos dessa situação. Eu creio. Vamos pedir a Deus que esteja conosco e nos guarde. Em breve, vamos voltar a nos reunir, a nos abraçar e a comemorar. Com certeza, teremos aprendido muitas lições e muitas experiências para contar. E poderemos fazer isso pessoalmente, cara a cara, olho no olho, terminando com um abraço bem apertado.

RELATO 2

 

Estela Márcia Cândido Mota

Professora de História Funec – Unidade Industrial

O EFEITO DA PANDEMIA NA MINHA VIDA

Fomos todos atingidos por uma avalanche que nos atropelou, roubou a nossa rotina, adiou nossos planos e sonhos…

Num primeiro momento, todo estranhamento e perplexidade são razoáveis…

Xingamos muito os chineses, culpamos o carnaval e cumprimos o isolamento que nos foi imposto.

Sentimos medo da morte, afinal, os números contabilizados e evidenciados em curvas ascendentes, nos aproximavam de uma catástrofe que parecia inevitável.

O sofrimento agudo das primeiras semanas passou, dando lugar à reflexão, que somada ao autoconhecimento, me valeram muito.

Que bom! Não fui contaminada! Não perdi nenhuma pessoa próxima e agora não posso me perder…

De que adiantaria tantas leituras que fiz, tanto conhecimento que busquei para mim e para meus alunos se não superasse essas dificuldades, se não confiasse na humanidade e no poder da ciência, afinal de contas, muitas epidemias já foram experimentadas.

Eu aceitei escrever para vocês apesar de toda correria e sobrecarga do teletrabalho para passar, como sempre, mensagens positivas e alentadoras.

Não se percam em más notícias, quando são desesperadoras ou mentirosas, como as “fake news”, por exemplo, que aumentam a nossa insegurança e diminuem a nossa imunidade.

Ai, só com muita sorte, sobreviveremos!

Procurem se cercar de pessoas que lhes amam e ofereçam a elas uma convivência amável e doce, sem acusações e cobranças, tão comuns quando a convivência é constante.

Procurei praticar atividade física, embaixadinha, pular corda, dança ou outra dica da internet, tudo isso me ajudou a descarregar um pouco da tensão que me levaria ao pânico.

Viver o dia de hoje, um dia de cada vez, pensar no aqui e agora, é necessário e inteligente.

Como fazer isso, se o medo da sobrevivência econômica está batendo na porta?

A rotina organizada e planejada me ajudaram bastante. O foco em desafios como concursos te obrigam a ler, estudar, como nunca achou tempo para fazer.

Tempo é o que mais temos, e se ele for produtivo? M a r a v i l h a!!

Ai acertamos em cheio!!! Goleamos nosso adversário, que muitas vezes está em nós mesmos.

Devemos refletir: O isolamento é um mal ou é um privilégio????

Convoco a todos vocês a praticarem a empatia com suas famílias e amigos. Manter o cuidado com os outros faz parte de uma responsabilidade social.

Por último, convoco todos a transformar o tempo da pandemia em um tempo produtivo!

Abraço carinhoso e forte de quem acredita muito em vocês!

6. AVALIAÇÃO

Será realizada avaliação mensal, qualitativa, por meio de formulário postado dentro da plataforma, onde o aluno atribuirá uma nota para as ações realizadas, e poderá deixar sugestões diversas para melhoria do espaço.

7. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Desejamos estar próximos de nossos estudantes e suas famílias nesse momento tão peculiar que estamos vivendo, ainda, que por meio de uma tela. Desejamos, também, que esse tempo de isolamento social possa ser aproveitado com atividades que agreguem conhecimento e proporcionem troca de experiências e interação saudável.

Para tanto, pensamos com muito carinho, num espaço que sirva como aliado de nossa escola no processo de aprendizagem, e que possa provar que a leitura pode melhorar sua vida e ser prazerosa.

O projeto “Biblioteca Sala de Aula” foi idealizado para vivermos um tempo onde o contato com o virtual não vai apenas entreter, mas, antes de tudo, trazer aprendizagem e conhecimento.

8. REFERÊNCIAS

A IMPORTÂNCIA DAS BIBLIOTECAS NAS ESCOLAS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO. Por Sophia em bibliotecas e acervos. Publicada em 25 ago. 2017, e atualizada em 25 out. 2017. Disponível em:

< https://www.sophia.com.br/blog/bibliotecas-e-acervos/a-importancia-das-bibliotecas-nas-escolas-no-processo-de-alfabetizacao>. Acesso em 10 jul. 2020.

CONTAGEM. CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO – CME. Resolução CME Nº 020, de 16 de junho de 2020. Dispõe sobre o regime especial de aulas/atividades não presenciais no Sistema Municipal de Educação de Contagem, como medida preventiva à disseminação do COVID-19. Contagem: CME, 2020. Publicada no Diário Oficial de Contagem-Ano 27 – Edição 4842 – 18 de junho de 2020. Página 19 de 29. Disponível em: < http://www.contagem.mg.gov.br/arquivos/doc/4842doc-e-20200618085727.pdf?x=20200806074505 >. Acesso em: 10 jul. 2020.

CONTAGEM.  SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO –  SEDUC/FUNDAÇÃO DE ENSINO DE CONTAGEM- FUNEC. Portaria Conjunta SEDUC/FUNEC nº 26, de 18 de junho de 2020. Dispõe sobre a reorganização das atividades escolares da Rede Municipal de Educação de Contagem, devido à pandemia COVID-19, e dá outras providências. Contagem: SEDUC, 2020. Publicada no Diário Oficial de Contagem-Ano 27 – Edição 4842 – 18 de junho de 2020. Página 1 de 29. Disponível em: < http://www.contagem.mg.gov.br/arquivos/doc/4842doc-e-20200618085727.pdf?x=20200806074505>. Acesso em: 10 jul. 2020.

O PAPEL DA TECNOLOGIA. Apresentado por Correio Braziliense – Projetos Especiais. Entrevista | Rogerio Panizzutti. Disponível em:

< https://www.correiobraziliense.com.br/escolhaaescola/papel-da-tecnologia-escolha-a-escola/>. Acesso em 11 jul. 2020.