Breve análise do conto “Pai Contra Mãe”, de Machado de Assis

LER É LEGAL!

Patrícia Coelho Spinola e Regina Maria Neves

Auxiliares de biblioteca – Funec Cruzeiro do Sul

A leitura desenvolve o conhecimento, a habilidade de interpretar e propicia, também, o entretenimento. Ler é legal! Movidas por esse lema, em 23 de abril de 2019, distribuímos marcadores de livros para os alunos da Funec Cruzeiro do Sul, em comemoração ao Dia Mundial do Livro. Temos alunos que vivem isso e são leitores assíduos da biblioteca, mas muitos precisam ser incentivados a frequentar nosso espaço.

Escolhemos autores nacionais importantes, selecionamos frases e colocamos algumas informações sobre eles. Recebemos um retorno positivo e percebemos que os alunos gostaram da iniciativa.

Projeto “Me conta um conto”!

Nosso projeto de 2020 é o “Me conta um conto!”, que não pôde ser iniciado devido à pandemia de Covid-19. Planejamos uma roda de leitura de pequenas narrativas com os estudantes, abrindo espaço não somente para a leitura, mas também, para sua parceira, a reflexão. Mas, por que não dar um pontapé digital no projeto por meio do blog Estuda Contagem?

Nosso primeiro conto é “Pai Contra Mãe” de Machado de Assis. Já havíamos trabalhado com o autor nos marcadores de livros e, nesse conto, ele aborda a escravidão. Uma data importante sobre esse período é lembrada em maio. No dia 13 de maio de 1888, a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea, que pôs fim à escravidão no Brasil.

BREVE ANÁLISE DO CONTO “PAI CONTRA MÃE”, DE MACHADO DE ASSIS

Por: Regina Maria Neves

Auxiliar de biblioteca – Funec Cruzeiro do Sul

Antes de entrar na sucinta análise do conto em referência, é necessário falar um pouco do autor Machado de Assis, a fim de justificar a escolha desse conto como o inaugural do projeto “Me conta um conto”.

Tendo-se como referência, o Portal da Academia Brasileira de Letras – ABL (2011) e, o Portal Toda Matéria (2020), pode-se dizer que Machado de Assis, ou melhor,

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 21 de junho de 1839, no morro do Livramento, Rio de Janeiro, filho de Francisco José de Assis, que era pintor de paredes, e a açoriana Maria Leopoldina Machado de Assis, que era lavadeira. Machado ficou órfão de mãe muito cedo e, por isso, foi criado com sua madrasta.

Em 1851, seu pai também morreu. Sem recursos para estudar, era autodidata, e com apenas 14 anos publicou o soneto “À Ilma. Sra. D.P.J.A.”, no Periódico dos Pobres, de 3 de outubro de 1854. Em 1855, seu poema “Ela” foi publicado na Revista Marmota Fluminense.

O autor era [apaixonado] por livraria e tipografia, tornando-se, em 1856, aprendiz de tipógrafo na tipografia Nacional. Em 1858, já era revisor no Correio Mercantil e, em 1860, redator do Diário do Rio de Janeiro (…).

É o fundador da cadeira nº. 23 da ABL. Velho amigo e admirador de José de Alencar, que morrera cerca de vinte anos antes da fundação da ABL. Ocupou por mais de dez anos a presidência da Academia, que passou a ser chamada de Casa de Machado de Assis. (ABL, 2011/TODAMATÉRIA.COM, 2020).

De acordo com o Portal Vermelho.org (2020), Machado de Assis não foi alheio aos problemas da época,

era um [consciente] observador do comportamento de membros da [elite perante a escravidão]. Sua obra traz inúmeras e precisas referências, quase documentais, de atitudes comuns da sociedade latifundiária e escravista de seu tempo.

A obra de Machado de Assis traz vários relatos da escravidão, que era o grande problema da segunda metade do século XIX, período em que sua obra evoluiu.

As referências à escravidão na obra de Machado de Assis são muito claras e fortes, e denotam a condenação, pelo autor, daquele regime e dos péssimos e injustos costumes sociais que decorrem dele. (PORTAL VERMELHO.ORG, 2020).

Dito isso, fica evidente o porquê da escolha do conto “Pai contra mãe” para inaugurar o projeto já citado, uma vez que a abolição da escravidão fez aniversário em 13 de maio.

Passaremos agora à breve análise do conto:

Pai contra Mãe, de Machado de Assis foi publicado em 1906, no livro “Relíquias da Casa Velha”, e tem características Realistas. Acontece no Rio de Janeiro do século XIX, tem como cenário para a narrativa o momento anterior à abolição da escravidão, que não era, porém, a discussão principal. Os fatores socioeconômicos das personagens são a pobreza, miséria e escassez.

Baseando-se na análise feita por Fernando Marcílio, mestre em Teoria Literária pela Unicamp (2020), pode-se dizer que:

O conto “Pai contra mãe” apresenta dois tempos diferentes, um anterior a abolição da escravatura, onde se coloca narrador, e é basicamente uma descrição histórica, outro diz respeito ao tempo da ação em si, que é anterior a esse fato, ilustrando o ponto de vista desenvolvido na primeira. É o que se pode chamar de exemplum, gênero literário medieval utilizado para adornar os sermões de pregadores da época. (MARCÍLIO, FERNANDO, 2020).

Destacam-se nesse conto, traços marcantes de Machado de Assis, quais sejam: a ironia e a articulação entre o enredo e as suas reflexões.

Inicialmente, “o autor fala de algumas práticas associadas ao período da escravidão, dentre as quais aquela exercida pelo protagonista do conto – caçador de escravos”. Na narrativa, “desenvolve o tema, apresentando as aflições do protagonista no exercício dessa profissão”. (MARCÍLIO, FERNANDO, 2020).

Um exemplo de ironia se dá quando o protagonista, para salvar a vida do filho, entrega ao dono à mulata Arminda, que estava grávida e acaba sofrendo um aborto, em decorrência da luta pela sobrevivência do filho.

Nesse sentido, têm-se as mesmas razões de luta: a família e os filhos. No entanto, para que houvesse satisfação de um dos lados, um deveria ser sacrificado. Nesse contexto, o autor pretende demonstrar que ambos os personagens são vítimas da mesma estrutura escravista.

Porém, a crítica de Machado de Assis vai além do sistema vigente da época. Alcança também o comportamento humano, onde para salvar uma criança é aceitável a morte de outra. Essa situação fica muito clara quando o protagonista diz: “Nem todas as crianças vingam”. Assim sendo, o homem justifica seu comportamento vil e egoísta e segue a vida sem culpa.

Referências Bibliográficas

A ESCRAVIDÃO NOS ESCRITOS DE MACHADO DE ASSIS. Portal Vermelho.org – A esquerda bem informada. Por José Carlos Ruy. Publicado 24/11/2019 15:28. Disponível em: < https://vermelho.org.br/2019/11/24/a-escravidao-nos-escritos-de-machado-de-assis/>. Acesso em: 26 mai. 2020.

BIOGRAFIA DE MACHADO DE ASSIS. Por Daniela Diana – Professora licenciada em Letras. Portal Toda Matéria – Biografias. Disponível em: < https://www.todamateria.com.br/machado-de-assis/>. Acesso em: 27 mai. 2020.

MACHADO DE ASSIS. BIOGRAFIA. Portal Academia.org. Academia Brasileira de Letras – ABL. Disponível em: < http://www.academia.org.br/academicos/machado-de-assis>. Acesso em: 26 mai. 2020.

PAI CONTRA MÃE, DE MACHADO DE ASSIS. Texto proveniente de:

A Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro <http://www.bibvirt.futuro.usp.br>

A Escola do Futuro da Universidade de São Paulo. Permitido o uso apenas para fins educacionais. Texto-base digitalizado por: NUPILL – Núcleo de Pesquisas em Informática, Literatura e Linguística http://www.cce.ufsc.br/~alckmar/literatura/literat.html>. Universidade Federal de Santa Catarina. Disponível em: < http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bv000245.pdf>. Acesso em: 27 mai. 2020.

PAI CONTRA MÃE. Portal Educação.Globo.com. Literatura. Por Fernando Marcílio – Mestre em Teoria Literária pela Unicamp. Resumos de livros. Disponível em: <http://educacao.globo.com/literatura/assunto/resumos-de-livros/pai-contra-mae.html>. Acesso em: 27 mai. 2020.