Entevista com Marcela Mayrink

Aluna: Marcela Mayrink

Título do Projeto: Incidência e prevalência de Sífilis, Hepatites e HIV em moradores de rua e abrigos no município de Contagem – MG

Orientador: Jefferson Rodrigues

Coorientador: Rodrigo Leite Lobo

Ocupação atual: Estagiária no Laboratório Humberto Abrão

1 – Qual a foi a importância do PIBIC-Jr na sua formação acadêmica?

O PIBIC-Jr foi uma oportunidade de aprendizado na área de pesquisa que possibilitou a união dos conhecimentos adquiridos durante a formação com a prática e a aplicação na vida das pessoas. Além de fomentar um gosto pela pesquisa, pelo conhecimento e pela aplicação desse conhecimento na sociedade.

2 – O que representa a  publicação de seu artigo na revista Eletrônica da Atena Editora?

A publicação do artigo pela Atena Editora representa não só uma possibilidade enorme de difundirmos o conhecimento adquirido com o projeto, como também é um grande passo para enriquecer o currículo e agradecer e dar reconhecimento a nossa instituição de ensino, que possibilitou o desenvolvimento do projeto.

3 – Como se sente em relação ao Distanciamento Social e como isso esta afetando sua vida estudantil

O distanciamento social é necessário para controlar a propagação do vírus e afeta a minha vida estudantil na medida em que impede as aulas presenciais e nos faz reféns da internet para buscar informações.

4 – Você acredita que é possível fazer pesquisa mesmo estando em isolamento social?

Sim, acredito que seja um momento em que se nota a grande importância de projetos científicos em nossa vida e pode ser um momento para pesquisas de revisão bibliográfica, para organização de dados e levantamento de hipóteses.

5 – Qual a relevância do tema para a comunidade em geral?

O projeto se torna relevante na medida em que discute a inserção dos moradores de rua e abrigos no sistema de saúde e visa dar mais visibilidade as necessidades de saúde desta população, faz um estudo epidemiológico das infecções sexualmente transmissíveis e informa a população sobre o modo de se prevenir estas doenças. O tema se torna atual no cenário da pandemia em que estamos vivendo pois as condições de saúde, saneamento e higiene destes moradores, que são marginalizados do sistema, devem ser discutidas para evitar que estes se contaminem e que propaguem o vírus.

6 – O que você diria para os outros estudantes em relação a sua experiência em fazer pesquisa?

Diria que é uma experiência única que possibilita a abertura de várias portas, com o enriquecimento não só do conhecimento mas como pessoa, mostrando várias perspectivas dos acontecimentos.