Autoprodução Cinematográfica do cotidiano em Química

FUNDAÇÃO DE ENSINO DE CONTAGEM

UNIDADE CENTEC

 

Autoprodução Cinematográfica do cotidiano em Química.

Alunos: Luan Elias Silva Castro e Giulia Maria Vasconcelos Ambrósio.

Orientadora: Adriana Mara Vasconcelos Fernandes de Oliveira.

Coorientadora: Carmen Terezinha de Lima e Silva.

PIBIC-Jr: Biênio 2019-2020.

Área do conhecimento: Ciências Humanas.

Palavra-chave: Cinema, Química, Ensino, Interesse, Cotidiano.

Local e data: Contagem, março de 2019.

 

 

 

RESUMO

  1. Antecedentes científicos, relevância e justificativa da pesquisa.

O ensino da química tem sido um problema para muitos professores e educandos, por ser uma matéria que exige profunda imersão para seu entendimento. Imersão que pode ser experienciada através do cinema, que é uma forma de expressão cultural da sociedade industrial e tecnológica contemporânea e considerada, por muitos cineastas, uma forma de instrução, educação e reflexão humana. Com base no texto “A Relação entre Cinema e Educação”, tem-se que: “A inserção de novas estratégias de desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem é primordial para a inovação pedagógica e a adequação às mudanças sociais com a finalidade de proporcionar uma formação integral aos cidadãos.” De acordo com um artigo “Proposta para Tornar o Ensino de Química mais Atraente”, o professor Silva nos diz que a “metodologia predominante não é uma das melhores para o ensino de química. Boa parte dos professores não procura alternar as aulas tradicionais com outras metodologias mais atraentes e eficientes que tornem a transmissão do conteúdo de química mais agradável.” Dessa forma, torna-se notável a importância do projeto, que pretende otimizar as formas de ensino ampliando as oportunidades para a educação de uma forma mais atrativa ao público alvo. Também de acordo com o mesmo artigo, “um fator negativo para o professor é a falta de interesse dos alunos, que muitas vezes não estudam os conhecimentos que são passados em uma aula.” O cinema é uma manifestação artística considerada por grande parte da população como forma de entretenimento, o que leva a crer que, por meio da sétima arte, pode-se despertar o interesse dos educandos que ainda não conseguem se engajar a partir apenas da exposição oral da matéria.

 

  1. Objetivos

Aprimorar a forma de se ensinar Química é um dos objetivos desta pesquisa, que visa a auxiliar os professores a transmitirem melhor o conteúdo necessário, de modo acessível para qualquer escola. Também se pretende produzir vídeos e mini-filmes, de forma que qualquer pessoa consiga entender o conteúdo proposto, tendo em vista um estilo mais leve e diferente daqueles a que as pessoas estão acostumadas, tal como os documentários. Espera-se que pelo menos 60% dos educandos que realizarão os questionários sobre o pré/pós vídeo ou mini-filme tenham compreendido o conteúdo a ser passado de forma mais eficaz e também que os professores percebam que o método é viável.

3.Metodologia

Para a autoprodução cinematográfica dos vídeos ou mini-filmes, serão propostos dias e horários para a discussão do roteiro entre os bolsistas. Depois disso, o roteiro será avaliado pela coordenadora e pela co-coordenadora para, após a aprovação, dar-se início às filmagens em dias pré-marcados. Serão feitas avaliações, por meio de de questionários para o desenvolvimento do projeto, sobre conteúdos de Química que costumam ser assimilados com mais dificuldade pelos educandos. Após as filmagens, ocorrerá o processo de edição, para aprimoramento e observação do produto, caso se desejar fazer alguma alteração ou acrescentar algum conteúdo. Para a aplicação do produto, pretende-se apresentar, em escolas que tenham turmas de 9º (nono) ano e também na própria instituição FUNEC CENTEC, os vídeos ou mini-filmes produzidos, em horários programados com os professores ou em intervalos. Após a exibição do filme, será pedido para que respondam um questionário que terá o objetivo de constatar se houve ou não o entendimento do conteúdo e aceitar, tanto dos alunos quanto dos professores, sugestões para melhorias.

  1. Resultados e Impactos Esperados

Espera-se que se consigam fazer pelo menos três produções autorais, sendo elas vídeos ou mini-filmes, para a exibição em algumas escolas, além de que seja possível receber uma avaliação positiva de, ao menos, maioria do público, para que a pesquisa possa ser ampliada e as produções sejam postadas até mesmo em redes sociais. O projeto pode causar um impacto positivo na área da educação, como algo inovador tanto para os professores quanto para os educandos, que estarão ampliando sua visão sobre a Química e como aprendê-la de forma mais eficiente e atrativa. Pode-se também gerar novas indústrias de produções desse tipo de material, de acordo com o tema, fazendo com que ao produto se ofereça livre para acessos a qualquer pessoa conectada à internet, proporcionando conhecimentos da Química e de seus eventos, incluindo a área de atuação no mercado de trabalho.

 

 

  1. Referências Bibliográficas